sábado, 28 de agosto de 2010

Sweet Dreams







Caminhava sobre um jardim encantado, com o vento soprando em seu rosto, folhas secas voando ao seu redor. Olhou para o céu, e ele estava nublado, então sentou-se e percebeu  que suaves gotas molhavam seu rosto. Paralisada, ali a menina ficou horas e horas, era tudo tão calmo e melódico. Ela estava em algum tipo de bolha mágica onde ali, só existia seu mundo. Enquanto isso a chuva ainda caia continuamente, a menina estava enfeitiçada no meio de tão grande calmaria..
 Pegou um livro e começou a ler, percebeu que só ouvia o barulho de seu coração batendo, de sua leve respiração e o mais importante conseguia ouvir seus pensamentos, em meio a tão grande silêncio. O  barulho da melódica chuva agora estava mais fraco, seus pensamentos eram quase sussurros. Tudo estava desaparecendo pouco a pouco de sua mente. Então ela percebeu que a chuva não estava mais caindo, que não havia um lindo jardim e que tudo não passava de uma doce imaginação, causada pelo imenso desespero de uma longa noite. Então ela olhou para o lado, o relógio marcava 06:00 horas em ponto, percebeu que não podia mais ouvir seus pensamentos. Levantou-se ainda meio confusa, viu que tudo estava normal, nada havia mudado, a paz que ela sentia foi embora em um incrível desespero de sua alma. Então ela percebeu que havia acordado. Tudo não passava de mais um de seus doces sonhos.




Um comentário:

História sem fim disse...

Muito perfeito o que você escreve. Tens o dom, tens essa chama pra acender até mesmo um vulcão de pensamentos.
Parabens teteh, você é foda!

te amo.